Está aqui: Indexis / Blog

E-commerce já representa 1/3 do faturamento total do Magazine Luiza

28 de fevereiro de 2018 por



O Magazine Luiza (B3:MGLU3), uma das maiores e mais inovadoras plataformas de varejo do Brasil, acaba de comunicar à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) seus resultados financeiros do quarto trimestre de 2017.

O ritmo do crescimento das vendas – muito acima da média do varejo de eletroeletrônicos e móveis — foi um dos destaques. Nos últimos três meses do ano, o faturamento total do Magalu atingiu 4,4 bilhões de reais – elevação de 31% em relação ao mesmo período de 2016. Foi o melhor resultado trimestral da companhia nos últimos cinco anos.

Graças a esse desempenho, o Magalu novamente ganhou participação de mercado nas principais categorias de produtos. No acumulado de 2017, o faturamento da empresa cresceu 28%. Segundo a Pesquisa Mensal de Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (PMC-IBGE), no mesmo período, a expansão do varejo brasileiro de eletroeletrônicos e móveis foi de 7,7%.

O crescimento acelerado — e muito acima da média do mercado — foi registrado em todos os canais do Magalu. As vendas digitais – de produtos próprios (1P) e de terceiros (3P) — cresceram 60% no quarto trimestre, contra os 6,1% do mercado, registrados pelo E-bit.

O marketplace do Magazine Luiza, lançado em 2016 e que já reúne mais de 750 sellers e mais de 1,5 milhão de itens disponíveis, faturou 230 milhões de reais no ano passado. Mais da metade desse valor – 120 milhões de reais – foi registrada nos últimos três meses do ano, o que demonstra o ritmo da adesão de varejistas de todos os portes à plataforma.

No e-commerce tradicional da companhia, cada vez mais clientes optam pelos dispositivos móveis. Em 2017, o número de downloads do aplicativo de vendas para smartphone chegou a 10 milhões. Durante a última Black Friday, em novembro, o app do Magalu foi o mais baixado do Brasil, superando opções de entretenimento e de serviços.

As vendas das lojas físicas também apresentaram forte expansão: 20% entre os meses de outubro e dezembro do ano passado. No critério de vendas nas mesmas lojas (same store sales), a alta foi de 15%. Em 2017, o Magalu inaugurou 60 lojas físicas, instaladas principalmente na região Nordeste.

Multicanalidade na prática

O avanço acelerado das vendas é reflexo da estratégia de multicanalidade, adotada pelo Magazine Luiza há duas décadas, e do aprofundamento do movimento de transformação digital da companhia. E-commerce, marketplace e lojas físicas operam de forma integrada, com os mesmos padrões de serviço ao cliente, reduzindo custos e aumentando a rentabilidade.

Um exemplo disso é o Retira Loja, um sistema no qual o comprador adquire os produtos nas plataformas de e-commerce e faz a retirada em uma das 858 lojas físicas do Magalu. Atualmente, 20% das mercadorias vendidas nas plataformas digitais são retiradas nas lojas físicas pelos clientes – em um prazo de até 48 horas.

Aumento do Lucro e Caixa Reforçado

A execução da estratégia de multicanalidade, com a introdução de tecnologias proprietárias que melhoram a experiência de compra e elevam a produtividade, a continuidade do programa de Orçamento Base Zero (OBZ) e a gestão matricial de despesas resultaram num aumento expressivo do lucro líquido do Magazine Luiza. No quarto trimestre de 2017, o lucro líquido foi de 166 milhões de reais, crescimento de 260%. No ano, o lucro líquido atingiu 389 milhões de reais, 350% superior ao registrado no ano anterior. Graças ao aumento das vendas, as despesas operacionais foram diluídas em 1,7 ponto percentual.

Nos últimos 12 meses, o Magalu reduziu sua dívida líquida ajustada em 1,8 bilhão de reais. Com isso, a companhia chegou a dezembro de 2017 com a melhor situação de caixa da sua história. Em dezembro, a posição de caixa líquido era de 1,7 bilhão de reais. Esses valores consideram os recursos provenientes da oferta adicional de ações (follow-on), realizada pela companhia em setembro do ano passado.

Os recursos disponíveis serão utilizados, ao longo dos próximos meses, sobretudo em tecnologia e na expansão e transformação da rede de lojas físicas, que serão transformadas em shoppable distribution centers – pequenas centrais digitalizadas de distribuição de serviços, produtos próprios (inclusive os comercializados pelas plataformas digitais) e mercadorias vendidas pelos sellers integrados ao marketplace.

Tecnologia e Inovação

Atualmente, mais de 450 engenheiros e especialistas trabalham no LuizaLabs, centro de inovação do Magazine Luiza. Organizados em pequenos times, eles são responsáveis pelo desenvolvimento de tecnologias proprietárias, voltadas para a solução de questões concretas e para a melhoria da experiência de compra em todas as lojas físicas e nas plataformas digitais.

Em 2017, mais de quase 50% dos 171 milhões de reais investidos pela companhia foram direcionados para a área de tecnologia – o que resultou no desenvolvimento de soluções como o Mobile Entregas, um app que permite o tracking detalhado das entregas, e o CDC Digital, um sistema usado pelos vendedores que reduziu significativamente o tempo de aprovação de crédito.

Em abril, o Magalu adquiriu a startup mineira Integra Commerce, especializada na integração de lojistas e marketplaces. A compra da Integra foi fundamental para a aceleração do crescimento do marketplace da companhia.

O movimento de transformação digital e seus resultados fizeram com que, recentemente, a revista americana Fast Company incluísse o Magalu entre as 10 empresas mais inovadoras da América Latina.

 

Fonte: E-commerce Brasil

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestShare on TumblrEmail this to someone
Indexis

Empresa de tecnologia

Veja mais artigos deste autor

Vamos começar?

Quanto antes começar, mais rápido irá vender e lucrar

Nossos serviços Começar agora